Intervenção Cívica

São décadas de ludíbrio. São resmas e resmas de programas e declarações de intenções. São decibéis de música épica, desde a Dina até aos Vangelis, a servir de cenário a ufanos discursos ponteados com mentira e hipocrisia. São milhares de litros de saliva gasta em feiras e mercados por esse país fora. São horas de tempo de antena gastas em apelos à “responsabilidade”, à “moderação”, ao “sacrifício pelo bem comum”. São multidões de flyers, de posters e de outdoors com translúcidos sorrisos e promessas de mudança.

Basta.

Chega.

Metam os vossos votos pelo cagueiro acima, mentirosos de merda, cambada de hipócritas, corja de vigaristas dissimulados.

Pelo meu relógio, também são horas de matar.