Para bom entendedor meia palavra basta:

As declarações do FMI feitas hoje no seguimento da sexta avaliação da troika são simples: baixa dos salários na função pública, despedimentos com fartura e os pobres que se lixem. No mesmo comentário declara-se que o governo não terá margem para baixar a carga fiscal nos próximos anos. Contudo, estuda-se a baixa da taxa de IRC de 25 para 10%. Hilariante! Se os rendimentos do trabalho continuarem a diminuir e a ser tributados desta maneira, ninguém vai ter dinheiro para consumir. Mais grave ainda, se a taxa de desemprego se mantiver a subir progressivamente (acentuada por despedimentos na função pública) menos disponibilidade haverá para consumir. É que nem numa folha Excel isto bate certo.

 Perante os valores das últimas execuções orçamentais, verifica-se facilmente que são os rendimentos do Trabalho a pagar a crise, uma vez que as receitas provindas aumentam e as do IRC diminuem. Vê-se claramente o que está em causa: despedimentos para criar pressão no sentido de uma diminuição dos níveis salariais em Portugal e retirar os direitos económicos, sociais e culturais de um povo. O mesmo povo que desde há quatro décadas anda a construir um país para agora se destruir tudo em menos de um fósforo.

É esta a lógica da economia capitalista patrocinada pelo governo. Estes sim, são os profissionais da desordem!

 

One thought on “Para bom entendedor meia palavra basta:

  1. Pingback: É um negócio da China | Sentidos Distintos

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s