“Percurso cívico extraordinário”?

Passos Coelho salienta o “percurso cívico extraordinário” de José Hermano Saraiva, o qual, em traços largos, consiste nisto: “paladino do salazarismo […] deputado à Assembleia Nacional, membro da Câmara Corporativa e Ministro da Educação entre 1968 e 1970, sendo então ator de primeiro plano no desencadear e na repressão da «Crise Académica» de 1969, depois da qual Marcello Caetano o substituiu por José Veiga Simão nomeando-o Embaixador no Brasil. Além disso, foi também, nos últimos anos, responsável pelo alastramento da lenda revisionista de um «Salazar benigno» com a qual alguns setores têm procurado anestesiar a consciência histórica democrática dos portugueses.”

Nem duas vidas de “divulgação” da História Nacional – eu chamar-lhe-ia, mais apropriadamente, efabulação – escamoteariam este impressionável currículo. Mesmo se tivermos as tropelias do universalmente afamado Miguel Relvas como ponto de comparação, o percurso político de JHS não passa de o de um hábil carreirista que soube se aproveitar de dois regimes, num deles directamente responsável pela morte de dezenas de estudantes, na injusta guerra do ultramar. As posteriores truanices televisivas não podem obscurecer estes factos.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s