Da educação pública

Andam a circular pelas redes sociais vídeos contra a “Educação Pública obrigatória” como forma de “doutrina” e “escravização”. É um assunto que me interessa muito e gostava de enconstar estas ideias à parede.

Em primeiro lugar devo lembrar que sim, os EUA são ridículos e que sim, o teste estandardizado mata muita liberdade criativa. Mas isso não reduz a importância de uma educação pública – aliás, cospe-lhe na cara – cujos princípios de exigência devem partir de nós, que não aceitamos tecnocracias, e não de uma miraculosa intervenção do jeito “deviam acabar com isso”.

Em segundo lugar, devo também lembrar que o teste estandardizado norte-americano não é o único modelo de educação que existe, por um lado, nem é necessária e irremediavelmente responsável pela TUA falta de criatividade, por outro. Grandes ideias nascem dos ambientes mais improváveis, ou não estaríamos aqui a clamar por uma revolução.

Finalmente, gosto de ver mais pessoas a apoiar a ideia de que a educação tem um papel fundamental na estruturação de acessos [ler: meritocracia] assim como na hierarquização social. Tudo bem. Não aceito é o “queimem a educação”, que é de uma hipocrisia burguesinha, cega e estúpida. O caminho para o sublime faz-se sujando as mãos e não displicentemente gritando filosofias baratas.

Aqui está um dos vídeos em questão:

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s